domingo , 16 junho 2019
Auto posto União
PIRES
Home / Destaques / Sindicância vê irregularidade em repasse para transporte de universitários em gestão anterior em Rio Brilhante
imperio imposto de renda

Sindicância vê irregularidade em repasse para transporte de universitários em gestão anterior em Rio Brilhante

gif requinte e sabor

ppp-1-1-1

POR: Campo Grande News

Investigação instaurada no ano passado foi encaminhada ao MP; associação recebeu R$ 8 milhões da prefeitura de 2013 a 2016

16114154_369811153382354_467464755726029555_n-660x330

Sindicância administrativa iniciada em março de 2017 e concluída no mês passado aponta indícios de irregularidades no repasse de recursos pela prefeitura para a associação dos universitários de Rio Brilhante, cidade a 160 km de Campo Grande. O resultado foi encaminhado ao Ministério Público, que já investiga o caso desde 2017.

A sindicância foi instaurada por determinação do atual prefeito Donato Lopes (PSDB) após a Procuradoria Jurídica do município não encontrar a prestação de contas do convênio referente a 2016.

Durante a administração do ex-prefeito Sidney Foroni (MDB), de 2013 a 2016, a associação recebeu pelo menos R$ 8 milhões, segundo números divulgados no portal da transparência da prefeitura.

A sindicância verificou a situação do convênio firmado entre o município e a Aunirio (Associação dos Universitários de Rio Brilhante), referente aos repasses financeiros efetuados no período de 2013 a 2016.

No parecer final, a comissão aponta que até 2015 foram feitos repasses mensais da prefeitura para a associação com base nos valores “efetivamente gastos” com o transporte de universitários. “Tais repasses variavam de acordo com a quilometragem percorrida e com o número de veículos utilizados”, afirma a prefeitura.

Entretanto, em 2016, segundo declaração do próprio presidente à época da associação, Ailsinei Alves Cardinay, foi modificada a forma de contratação da empresa e todos os meses havia um valor fixo de R$ 225 mil, independente do número de veículos ou quilometragem percorrida.

“O próprio depoimento do sr. Ailsinei demonstra incoerência nessa situação, tendo em vista que o mesmo afirmou que em alguns meses há uma redução do número de universitários que utilizam o transporte escolar, em virtude de desistências. Mesmo assim, o valor repassado para a Aunirio permaneceu inalterado”, diz trecho do resultado da sindicância.

Para a comissão sindicante, a situação é uma “gritante ofensa aos princípios legais que regem a administração pública”, já que convênio de 2016 foi firmado em desacordo com a Lei Municipal 1754/2013.

O parecer considera ainda “no mínimo absurdo e imoral” as partes estabelecerem um valor fixo mensal, mesmo havendo lei determinado regras diferentes.

Em outro ponto do depoimento à comissão, Ailsinei declara que em 2015 a mesma empresa de transporte contratada para carregar os alunos reduziu o número de veículos após diminuição do número de alunos por causa de desistências.

A comissão afirma que, se em 2015 houve redução do número de veículos em virtude de desistência de alunos, certamente em 2016 também ocorreu, “já que isso é prática habitual entre os alunos e, se o contrato foi celebrado com valor fixo, não se pode avaliar esses dados”.

O Ministério Público em Rio Brilhante instaurou inquérito civil no ano passado para investigar o mesmo assunto.

______________________________________________________________________________________________

milkoisas-768x272-1

ppppp-1-1-1

MOVELAR-GIF-SEM-FACE-1-1-1

GIF DERI PINTURAS

Jesus esta voltando