quarta-feira , 21 novembro 2018
PIRES
Auto posto União
Home / Cidades / RIO BRILHANTE: acusados de matar adolescente por dívida de droga são condenados
imperio e camila

RIO BRILHANTE: acusados de matar adolescente por dívida de droga são condenados

espaço pode ser seu

ppp-1-1

O julgamento foi presidido pelo juiz Jorge Tadashi Kuramoto, a defesa foi feita pela defensoria publica e acusação pela promotoria, Ministério Publico.

Por: Olimar Gamarra
10436_1451244237
Policiais no local do crime em dezembro de 2015. Foto ( Olimar Gamarra)

Três acusados de matar uma adolescente em 27 de dezembro de 2015 em Rio Brilhante foram condenados a 47 anos de prisão pelo tribunal do júri  em julgamento realizado nesta quinta-feira (20).

Jenyfer Oliveira Vilhalva (23), José de Freitas Junior (21) e Micaeli Benites Casal (21) que foram presos um mês após o crime aguardavam julgamento detidos.

Durante as investigações do SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil de Rio Brilhante foi esclarecido que a vítima Andria Loize Freitas Vargas de 17 anos, tinha uma divida oriunda de drogas no valor de R$ 400.00 (quatrocentos reais) contraída junto ao namorado de Jenyfer, Rogério Pereira de Lima Morais que na época do crime já estava preso na PED (Penitenciaria Estadual de Dourados). Ele teria ordenado que Jenyfer cobrasse a divida, como Andria não pagou mandou executá-la.

Para isso Rogério teria conseguido a arma usada no crime que chegou até a namorada em Rio Brilhante. Por sua vez Jenyfer recrutou Micaeli que era amiga da vítima e José de Freitas para colocar o plano de morte em ação.

No dia anterior ao crime os três teriam ido ate a BR 267 saída para Maracaju a fim de ”testar” a arma, um revólver calibre 38 e efetuaram disparos em placa de sinalização.

Já na madrugada do dia 27 de dezembro de 2015, Micaeli convidou Andria para usarem droga em um terreno baldio no cruzamento das ruas, Sidney Coelho Nogueira com Santana, no local já estavam José e Jenyfer escondidos aguardando a chegada da vítima. Assim que chegou ao local Andria teria percebido a emboscada e tentou fugir mas foi baleada na cabeça duas vezes com tiros disparados por José e morreu no local.

Segundo apurou a investigação, horas antes do crime ser praticado, o trio já havia tentado executar Andria em outro local, porem devido a grande movimentação de pessoas acabaram desistindo.

Os três foram condenados por homicídio duplamente qualificados, motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima. Jenyfer pegou a pena maior, 17 anos de prisão, José de Freitas Junior e Micaeli 15 anos de reclusão cada, todos em regime inicialmente fechado.

O julgamento foi presidido pelo juiz Jorge Tadashi Kuramoto, a defesa foi feita pela defensoria publica e acusação pela promotoria, Ministério Publico.

A defesa de Rogério solicitou o desmembramento do caso, com isso uma data para seu julgamento será marcada.

Andria era homossexual e morava a ceca de 100 metros de onde foi assassinada. Ela tinha passagens pela polícia por furto e porte de droga.

_____________________________________________________________________________________

 

pppp-1-1

ppppp-1-1

MOVELAR-GIF-SEM-FACE-1 (1)

JUNIN ESPETINHOS GIF

Mayfa supermercados
Jesus esta voltando